Estilo Paleo – parte 1: do conceito ao pequeno-almoço!

 

20161005_102359

O conceito Paleo chegou até mim há 3 meses pela mão de uma amiga que me mandou uma mensagem mais ou menos assim: “adicionei-te a um grupo no facebook, aposto que vais adorar!!!”

E não falhou! Numa altura em que a minha busca por uma vida mais saudável, com mais qualidade, e mais ecológica esta no auge, o conceito de Paleo veio na hora H! Decidi então que estava ali o ponto de partida para mudar a minha alimentação.

Paleo, como o nome indica, baseia-se na alimentação do Homem na era Paleolítica. Carne, peixe, ovos, verduras, água. Haverá mais saudável? De acordo com alguns estudos esta foi a era dourada na evolução do Homem, e a sua alimentação terá sido um contributo precioso.

No entanto, adoptar o estilo Paleo, não significa morar numa caverna na montanha (embora as vezes dê vontade!) com barba até aos pés ou uma colecção de pêlos maior que o Toni Ramos.

Há que ter em conta que estamos no séc XXI e tirar proveito das vantagens. A é internet é uma fonte de pesquisa sem fim, e temos muitos ingredientes saudáveis à nossa disposição que nos permiten fazer pratos maravilhosos.

A ideia é descomplicar, e é aí que aparece o conceito de Paleo Descomplicado. Aqui não há coisas rígidas, há linhas orientadoras, há alimentos fortemente aconselhados, alimentos a evitar, e ainda outros que podem eventualmente ser consumidos com moderação (como é o caso de alguns derivados do leite e das leguminosas), cabendo a cada um aprender a conhecer realmente o seu corpo, o seu organismo e as consequências individuais da ingestão destecou daquele alimento. Uma das frases que mais gosto é “Não há um estilo Paleo rígido. Cabe a cada pessoa descobrir o SEU estilo Paleo”.
Para saber mais sobre o estilo Paleo Descomplicado visite o site http://www.paleoxxi.com ou o grupo facebook #Paleo Descomplicado.

Ao inicio não é facil. É preciso pesquisar conceitos, receitas, ingredientes, descobrir como substituir certos ingredientes, etc. Exige um investimento importante de tempo e energia. Mas depois tudi flui, já conseguimos combinar ingredientes, inventar receitas, fazer pratos deliciosos!

Alguns ingredientes que passaram a ter lugar de destaque no meu armário: óleo de côco, farinha de côco, côco ralado, açucar de côco, mel, farinha de amêndoa, nozes, nozes pécan, cajus, fécula de tapioca, entre outros!

Perdi 10kg em 3 meses, sem passar fome, simplesmente comendo bem. Mas afinal o que como eu? Esta é a pergunta que mais me fazem actualmente, e por isso nasceu este post. Hoje vou dar exemplos de pequenos-almoços e lanches, no proximo post falarei sobre almoços e jantares.

Aventurem-se, experimentem e digam o que acharam!

Há um elemento que nunca muda no meu pequeno-almoço: É o chamado café turbinado, mas eu gosto mais de lhe chamar café energético!
Para quem começa é um bocadinho estranho mas acreditem: primeiro estranha-se, depois entranha-se!

1 café grande + 1 c. sobremesa óleo de côco (extra-virgem!!!) + 1c.café de canela. Depois há quem misture na máquina de batidos, quem misture com aquele aparelho IKEA para fazer capucino ou quem -como eu – mexa com a colher. 😀

E porquê fazer um café assim?? Simples: os 3 elementos são termogénicos, ou seja, aceleram o metabolismo. Além serem fonte de energia ainda fazem com que o nosso organismo queime mais calorias. Além disso o óleo de côco é uma gordura saudável que dá saciedade.

Depois temos dois tipos de pequenos-almoços/lanches: os low carb (baixos carbo-hidratos) ideais para quem quer perder peso, e os outros para comer de vez em quando. Fazer um regime exclusivamente low carb é saturante e acaba por desmotivar, por isso temos os pequenos-almoços mais calóricos para comer (muito) de vez em quando!

Os pequenos-almoços lowcarb faço à base de ovos, queijo, presunto, eventualmente iogurte grego ou quark. Eu muitas vezes junto algumas oligaminosas o que aumenta potencialmente a carga de hidratos, mas se não se abusar são optima fonte de energia!

Exemplos:

Para os muffins salgados lowcarb: ovos, quark ou iogurte grego, misturar bem, sal, pimenta, cebolinho, salsa, colocar em formas de muffins untadas com óleo de coco, e rechear a gosto, neste caso queijo de cabra e presunto. Na ultima foto acompanha com iogute caseiro natural com linhaça moida.

Para os pequenos-almoços mais gulosos uso diversas combinações doces ou salgadas de alguns ingredientes (farinha de amêndoa, de linhaça, de côco, fécula de tapioca – equivalente ao polvilho, quark ou iogurte grego, etc).

Exemplos:

É tudo muito simples de fazer, as receitas estão praticamente todas na página facebook do blog (https://www.facebook.com/entrechuchasehalteres) deixo aqui a base para os crepes: por norma faço com 1 ovo, 1c. sopa iogurte grego ou quark, 1c. sopa fécula de tapioca, bicarbonato, depois pode variar-se e substituir metade da fécula por farinha de côco, amêndoa ou linhaça. Para os recheios/corbeturas doces ou salgados, é usar e abusar da imaginação dentro do permitido, claro! 😉

Assim vai a vida… aos olhos de uma recente Paleo!

Anúncios

2 thoughts on “Estilo Paleo – parte 1: do conceito ao pequeno-almoço!

  1. Carmen diz:

    Olá Cátia!
    Por acaso já tinha visto uma reportagem sobre isso e achei bastante interessante. Pelo menos atrai-me muito mais do que um regime vegan, com o qual não consigo identificar-me.

    As tuas sugestões de pequenos almoços são mesmo apetitosas! 🙂
    Já estou ansiosa por ver as ideias de almoço/jantar.

    Beijinhos grandes e força na tua mudança de hábitos. 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s